sábado, 25 de dezembro de 2010

Hoje eu resolvi abrir um livro em branco, pra ver se eu conseguia reescrever uma nova história.
De repente eu realmente consiga, recentemente eu peguei todo o meu passado escrito e chorado, dobrei em pequenos pedaços, coloquei em uma caixa e joguei pra bem longe da minha vista.
Tudo para que eu não pudesse mais retirar do lugar pra rever tudo o que vivi, e sentir dor por nada, ou então nem sentir nada... não me importa, quis jogar tudo fora, impressionantemente. Refiz minha mente, estou pensando diferente agora, um pensamento menos egoísta.

Encontrei meu destino em você.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

que continue surpreendendo-me, VIDA!

É fantastico viver.
Mesmo que viver esteja incluido no pacote o SOFRER.
Viveria mais 2 vidas junto com a minha, só pra ter mais e mais a dizer,
a escrever, a pensar, e a planejar, e até me decepcionar.
Se há uma coisa que não discordarei jamais,
nessa vida doida, é que depois da tempestade SEMPRE TEM QUE SURGIR O SOL,
e se houver como, controle o sol, pra que não aqueça demais a terra,
para que depois não volte a chover.

Ah, mas uma coisa não posso esquecer de dizer,
que existe chuva boa.
Aquela que vem do coração, mas não do coração machucado, ferido e doente, não.
A de felicidade, de emoção, de paixão.
E a que mais ta caindo aqui ultimamente.
Espero que assim dure.

-

José Eduardo. s2

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

; -

Você Disse que me ligaria,
Que sempre voltaria e nunca iria.
Mas se foi, não voltou e espero anciosamente por um sinal de vida seu, qualquer um.
Você disse que sempre me amaria,
E disso nunca fugiria, nem sequer me esqueceria.
Hoje só me resta uns cigarros, e umas doses de vodka,
uma casa vazia e sombria, um tanto fria,
Que roupas de lã nao são capazes de aquecer.
O seu retorno já não aguardo mais,
nem seus telefonemas, e nem suas desculpas.
Talvez nada que você me diga destrua o que minha mente concluiu ao seu respeito.
Nada grave o bastante pra que eu não queira nunca mais te ver.
Mas é algo forte o suficiente para que eu controle a vontade de te ter.
E novamente eu, sozinha, caminho, persigo, insisto, acredito, que uma hora essa hora passe eu possa entender ao certo as coisas que penso e falo.
Já nem me importo mais,
porque daqui a pouco você ignora,
Como todos aqueles olhares que pra você eu faço a toda hora...

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Falta Forças pra falar, do quanto doi te amar!...

Vou Abrir mão de pelas avenidas
Ficar o tempo todo a te procurar,
A te esperar, na esperança de ver você passar,
businar, gritar, pra eu mais uma vez saber que vou te amar,
me apaixonar, ou então curar e sarar toda essa dor que me tira
o ar, que não me deixa pensar, ou sequer em outra coisa falar,
"Quero seu mundo como lar,
Do seu lado sinto que achei meu lugar",
E acho que o tempo não vai apagar,
É voce que toma meu tempo,
não me deixa parar pra respirar,
Mas por voce não vou mais esperar.
De você vou me esquecer,
Mesmo que sejas meu bem querer,
Sei que em mim vai doer!
Talvez esteja errada, acho que logo vou saber.
O que é necessário para se enteder,
É que de você,
Meu amor,
Quero me esquecer. Mesmo que por dentro eu vá morrer...
E numa longa estrada sem voce vou partir,
mesmo sabendo que saudades suas vou sentir... :/

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

-

Esta noite pra te esquecer quero entrar num bar,
com muitos homens bêbados e imundos,
de mente e roupas sujas, gente repugnante,
que vem, passa, me olha, me mede.
Quero sentar em um banco quebrado qualquer,
Por lá borrar a maquiagem escura que com tanto capricho eu fiz,
mesmo sabendo que nas lembranças suas me afogaria em lágrimas.
Pedir um copo da dose mais forte que houver, não sei o nome,
tanto faz, pouco me importo com o que vou ingerir hoje,
desde que não seja a amarga esperança de ver você passar por mim,
do som das suas palavras,
do brilho dos seus olhos, do seu toque em minha pele aveludada.
Já nem sei mais onde estou, o que falo ou faço, nem o que penso,
até porque ja não faz muito sentido, assim como andar e andar,
e numa vaga ilusão achar que eu possa te ver caminhando pelas ruas,
e quem sabe te ver, só essa noite talvez.
Queria poder chorar mais um pouco, pra derrepente eu poder conferir se é realmente isso que esgota as dores que eu to sentindo, que nem sei de onde vem,
sei que machuca e aperta, muito mais do que o salto que estou usando,
e até mesmo mais do que meu sutiã vermelho.
Meus olhos ja estão tão sem cor, acho que é por não dormir mais, ou então meu espelho de bolsa está mentindo pra mim, como o destino ja o fez.
Acho mais conveniente que eu saia daqui e volte pra minha casa,
Já sei no que isso vai dar, e não quero mais passar uma noite fora de mim,
Não que seja tão ruim,
É mais pela tal dor que incomoda tanto.
Tentei até tomar um remédio, um ou dois,
diziam ser fortes, mas nenhum fez o efeito que eu queria.
Daí uma amiga me disse, que era um caso sério, o remédio do qual preciso é um tanto raro.
Digamos único, tá, ela me disse que seria você.
Mas talvez eu morra com essa doença, acho que é do tipo de um câncer.
Perigoso assim.
Acho que mais uma vez, entrego meu coração na mão dessa maldita avenida da minha vida.
Pra ver se você volta, se realmente você se for.
Ah, e se voltar, venha ouvindo "Não vejo a Hora", faça isso por mim...

sábado, 14 de agosto de 2010

"Meu coração se fechou,
Você não sabe o que eu sofri!
Na estrada da vida à pé, sem alguém pra dividir tanta dor...
Eu só me iludi."

Começando com essa música que diz TUDO.
Nem vou falar muito, nem sei porque. Eu estava jogando videogame (pois é..) ai pensei numa pessoa, que ganhou meu coração muuuito facilmente, conheci ontem a tarde, a noite nos encontramos outra vez e depois ficamos conversando no celular até as 2:30 da manha, falando tudo que gostamos de conversar, o papo foi muuuuiiito bom, e ele? uma pessoa incrível! :)
Estou muito feliz por conhecê-lo, muito mesmo.

Deise está apostando todas as fichas que ela tem nisso, hahahah!

Beijos !

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

São Flores e Cores!

Escrevo esta manha, com a minha janela aberta.
de lá de fora observo,
a menina sentada na calçada,
um rapaz desiludido,
um som de skate a corroer o asfalto,
e alguém a chamar meu nome, numa distancia na qual não posso alcançar.
Diz, daí mesmo, que me ama outra vez.
Sua voz põe tijolo por tijolo,
uma passarela, uma ponte, uma estrada
que une nossos caminhos
por mais diferente que possam ser.
Uma palavra nos enlaça,
Um abraço nos emociona,
Um beijo nos remete a nostalgias,
E eu te amo assim.
Loucas palavras, incompreendidas,
repreendidas, por um regime,
imposto por mim própria não te deixa chegar perto,
mas voce rompe barreiras, faz meu coração bater até que eu morra.
E morreremos juntos, um aos braços do outro,
porque sempre fomos assim.
Da ponte que VOCÊ construiu de mentiras,
prometo-te que não me lembrarei mais,
até porque, dela hoje ao meio dia saltarei para nunca mais retornar de lá.

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Cada vez que eu fujo, eu me aproximo mais!

É, desse jeito mesmo que funciona. Quanto mais fujo mais me aproximo, sinto isso algumas vezes.

Saí no domingo né, mas por dentro estava meio que um bagaço, nao estava me sentindo nem um pouco bonita e ainda por cima NINGUÉM olhava pra mim. Gosto de ser o centro das atenções, gosto quando olham pra mim, comentam e me encaram, gosto disso. Gosto de seduzir as pessoas, todas as pessoas, mulheres, homens, crianças, é claro que homens de uma maneira um tanto diferente, não pensem mal de mim por ter citado "mulheres e crianças", rs.
Me senti desconfortável domingo. Minha cabeça estava meio que no lugar desta vez, não sei explicar. Estava meio no Jota, meio em quem eu devo ser de verdade, e meio em um rapaz que conheci há um tempo. Vamos chamá-lo de Ricardo, tá bom assim.
Incrívelmente, eu o achei uma pessoa extremamente fútil, de primeiro plano, claro. Depois de umas conversas, ele põe as cartas na mesa e diz que, NAMORA. Gente, mais um? rs. É, o fato é que ele é um tanto interessante, com ideiais próximos aos meus.
O fato é que, aconteceu o que não deveria: um beijo, no dia 08.08, pode parecer pouco, mas já é uma traição, e não deixa de ser. O tal dia que eu disse que estravazaria com a Deise, pois é, não aconteceu tudo o que eu imaginei semanas e semanas pro meu domingo, mas só de vê-lo pessoalmente ja gostei, e MUITO viu. hahah.
Não sei mais no que penso, no que faço. Ele transmite uma coisa que eu não sei explicar nos seus olhos. Quando me abraça sinto que não sou mais a mesma. Parece que algo acontece comigo, parece que não é mais necessário o som da voz pra estabelecer uma conversa, uma sintonia muito grande, acho que assim consigo explicar bem. É melhor nem pensar muito nisso! ... rs! Gosto da sua compania e da sua conversa, quem sabe né Ricardo?... rsrs!
Terminando por aqui hoje, estou muito cansada e muito gripada, não tenho muito o que dizer. Ah! Ontem fui na casa do meu "vizinho", não conversamos muito porque a mãe dele me pareceu um tanto brava, meio fechadona. Dou uma passada por lá hoje ou amanha de novo! :)

ouvindo,
#pura inocência / @vamos conversar

:*

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Pensando bem, bem mesmo...

E também mudando os conceitos né, acho até melhor mesmo.
"Sozinha numa multidão de amores"?, pode ser, mas melhor uma multidão a ninguém.
Ou não?
Bom, agora eu resolvi manter contato com um cara que mora descendo minha rua, vizinhos praticamente. Lindo, gente fina, porém... NAMORA! e tá querendo ficar comigo. Aí, ontem, saí com a Deise e encontrei com quem? Não! não era o Jota. O Jota eu fui caçar no fim do role. Enfim, encontrei um caso meu das antigas! Ficamos juntos, e quando fomos nos despedir, no fim da noite ele deu umas crises meio engraçadas, falando que eu "pegava" todos, bom, Deise me disse que só AGORA ele começou a gostar de mim de verdade. Será? Ah não quero nem pensar, nem em Jota, nem nesse caso, nem no "vizinho". Ninguém mesmo, vou "deixar a rua me levar", ja chega de chorar. Se o Jota resolver ficar comigo bem, se não bem também. Se o "caso" resolver bem, se nao bem. Assim por diante, afinal, o funkão com a Deise mês que vem tá ai ;D
Quero rir, me divertir e beber, rua augusta será pequena pra nós duas dia 08.08! HAHH ;DD

BEIJO!

sábado, 17 de julho de 2010

Inferno!

Estou realmente péssima. Algo em mim já esperava escutar o que escutei hoje... "aceita a minha amizade?" Um punhal me atravessou aquela hora e não quer mais sair, alguém sabe o que eu posso fazer?
Eu queria poder entender! Até outro dia, a conversa era "é ela!", porque isso mudou? porque voce está fazendo isso comigo, pelo amor de Deus, eu preciso acender as luzes, já mal consigo ver, minha dor está só aumentando, a cada segundo a cada minuto eu preciso de ajuda. Não sei por onde começar, não sei como ele faz isso, mas ele conseguiu engolir o chão que eu piso com poucas palavras, como ele faz isso? Ainda não acabou, eu ainda não disse o que queria, muitas coisas ainda vão acontecer se Deus quiser.
Ontem casa da Amanda, hoje também. Pêh linda, puxa vida! Pessoas incríveis moravam praticamente ao lado da minha casa, mas como nunca pude reparar nelas? Talvez seja mesmo esse o propósito de o Jota ter cruzado meu caminho, acho que era mesmo pra eu conhecer essas duas meninas que agora provavelmente vão estar escutando minha voz ler esse blog... rs
Sou Eternamente grata a vocês meninas, pela conversa, e Pêh, nao vou me esquecer JAMAIS da história do PEIXE E DA ANDORINHA... ♥ *--*

Até desmaio teve hoje. Desmaios, crises, pensamentos infinitos e acho que tudo que tive direito. Tive vontade de voltar e quebrar a cara dele, vontade de voltar e beija-lo, vontade de várias coisas várias mesmo. Pelo que conversei hoje com as meninas, hoje e esses tempos né... ele queria mesmo era eu como sou, e não a "periga" do dia do jogo. Mas enfim, esse foi o fim. Bom, talvez né, não sabemos ainda o que vai acontecer...
Só Deus mesmo pra saber.

Coomo eu quero que esse dia REALMENTE acabe logo, muitas desgraças, nossa.
Enfim, amanhã é um novo dia, acho que tudo vai mudar. Quero sair com a Deise, e ver pessoas!

Beijos para todos :*

terça-feira, 13 de julho de 2010

E só está começando, mais uma vez.

Puxa vida. É realmente incrível as voltas que a vida nos dá! Quando pensamos que a vida acaba após o fim de um grande amor, na verdade, ela está só começando... A vida realmente nos dá muitas pancadas, nos resta apenas saber desviar delas ou aguentar com a intensidade da força. Nem todo mundo aguenta, claro, então desvia. Alguns acham que aguentam, sentem a dor e choram sozinhos, porque é sempre assim, a dor é algo que temos que sentir sozinhos sem a ajuda de ninguém, por mais que alguém queira ajudar, isso é impossível. Você tem que lutar sozinho contra os seus pensamentos que te consomem, ter alguma estratégia em mente pra não te fazer lembrar do passado, pois cada vez que te vem lembranças dele, é um tiro que te acertam e te mata aos poucos. É muito difícil viver. Realmente, hoje em dia, viver é só para quem é forte realmente. Sei que tudo isso vai passar, sei também que isso é uma outra avenida que terei que passar, lá na frente sempre vai ter outra sendo construída. E assim eu caminho, sozinha, só eu, meus pensamentos, meus sapatos, as luzes dos carros, o barulho dos bares, a noite escura, e minha solidão, até que alguém cruze um dos becos que dê acesso a minha avenida, para que possamos caminhar de mãos dadas...
Até quando isso vai continuar? É, realmente não sei não. Mas de qualquer forma está na hora de eu largar de VEZ uma mulher que surpreende e seduz muitos homens, que dança maravilhosamente bem, que encanta, que não é de ninguém; pra resgatar uma que só quer alguém pra vida inteira, que sabe de seu lugar. Vou ser quem realmente devo ser, deixar de vez de minha 2ª pessoa vulgar... rs. Quem sabe um dia ela volte, mas com mais moderação? Pois é. Preciso pensar e pensar. Vai fazer bem pra mim, pra que eu possa distinguir quem eu devo ou não me envolver, pra que eu possa voltar a estudar e coisa e tal.. enfim, por hoje é só.

Beijo!

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Sexta, Sábado e Domingo em casa, HMM! *-*

ADOOROOO ficar em casa, assistir a vários filminhos, comendo porcariazinhas, postando no blog e ficar falando abobrinhas no telefone e no msn, com pessoas chaataaas auhuaha sem sentido e ficar ouvindo músicas depressivas, depois das depres eu ouço as que me deixam poderosa. RS! Sábado e Domingo vou pra uma baladinha que toca eletronica, to afim de me divertir, de me desligar de tudo isso de novo, se não explodo. Caramba, estou muito necessitada meeesmo de umas boas dançadas, umas boas olhadas pra mim... haha, que mulher não gosta disso?
Sei que, Fim de semana ninguém me reconhecerá! MUAHUAHUA!

Beijos bom feriado :]

segunda-feira, 5 de julho de 2010

De volta a vida, afinal, é inevitável. :)

Ai ai. Depois de acordar hoje, tomar um café bem forte pela manhã, e me dar conta que, a vida é assim. Já dizia eu mesma (rs), as avenidas da vida. Avenidas e Becos, inevitáveis... E que a vida continue sempre assim, até porque se não for, que graça vai ter? (:
Assim como veio o Jota, de repente, num fim de semana a tarde, e por coicidencia do destino cruzamos nosso caminho só de estarmos na rua, isso pode acontecer de novo, e de novo, e de novo. Quantas vezes for necessário para que eu possa aprender quantas lições forem necessárias, pra parar de ser como sou. :)
Enfim, já dizia racionais: "lavo o rosto nas águas sagradas da pia, nada como um dia após o outro dia"...
De "moleques" estou farta e é isso que importa! Não vejo a hora de encontrá-lo novamente pra que eu possa dizer isso na sua cara. Se ele quer perder o tempo dele com "vadiazinhas"... ele que vá procurar em outro lugar, não estou com tempo a perder, nem paciência, não estou afim só de gracinhas. Já passou esse tempo, ao menos pra mim. Pra ele que é menininho não. Fazer o que!
...Avenues and Alleyways...! ;)


Beijos!

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Hoje, puxa, que aventura. Pra dizer a verdade, eu odeio mentiras, odeio mentir, mas as vezes é necessário pra que se possa fazer certas coisas. Enfim, hoje fui na casa de uma amiga que mora numa favelinha perto do meu serviço, muito gente fina ela. Ficamos lá até que ela tomasse banho, se trocasse, se arrumasse pra que pudessemos ir a casa de um amigo dela, e que por coincidencia é irmão da menina que atendeu o celular do Jota na sexta, quando eu liguei. Me surpreendi, porque ela é muito bacana, rimos muito, nos divertimos, almoçei lá... Bom, mas o que me interessava de verdade ainda não havia chegado... Jota. Ah meu Deus, até quando vou atrás dele? Só Deus sabe mesmo. Mas o que interessa de verdade aqui é que, eu to me sentindo super mal por hoje. Mal por ter fingido ser alguém que eu nao era, cara, até pulo do gato eu usei... emprestada, claro. Soltei meus cabelos, coloquei uma blusinha de oncinha, uma calça bem justa, e a dita da pulo do gato da minha amiga. Não tinha um lugar onde eu passasse que eu nao ouvisse um "nossa senhora hein.." seguida de uma buzinadinha. Arrazei geral, mas não com quem eu queria mesmo, que é o Jota. Pra começar, ele chegou na casa da Amanda, e não tinha reparado direito que eu estava lá, até me comprimentou com um beijo no rosto! Eu fiquei realmente impressionada, sério. Ontem eu havia conversado no telefone com ele, e ele disse que estava MUUUITO doente, que nao ia sair, que isso, que aquilo. Ai hoje ele aparece lá, mó de bem com a vida. Quase morro de tanto tremer. Tremia feito uma velha vendo um gogoboy. Os amigos dele todos lá, olhando pra mim, me despindo com os olhos, me chavecando, e ele, uma hora ia no carro mudar a música, outra hora ia e ficava conversando com umas meninas nada a ver, só eu ia atras dele, pra ficar ao lado dele, beijá-lo e coisa e tal. Conversamos, ele me disse que "estamos ficando, eu te acho bacana e se rolar algo mais nós vamos saber daqui pra frente, nao chora por mim meu, nao chora por ninguém. Sério. Não fica Brava comigo, nao faz essa cara." até que eu disse, "porque voce foge de mim meu?" "porque eu sou assim mesmo, é meu jeito. Eu ja corri muito atras de mulher, ja chorei pra caramba. Não quero que isso aconteça de novo". Aaaa viu, pouco saco pra ele! Sabe quando, você tem vontade de fazer o que te dá na telha (que é o meu natural fazer isso...), mas aí algo te freia? e você para pra pensar, e resolve que é melhor deixar que o tempo resolva. Melhor assim mesmo. Melhor idéia que eu tive! Pode me doer, o quanto for, mas atras acho que não vou mais não. Uma amiga minha me disse, que eu deveria deixá-lo até que ele venha atras de mim, mesmo que isso doa. Isso é um teste pra saber se ele gosta mesmo ou não de mim. Enfim. Assim será.. :s

Pra terminar aqui, eu vou deixar um vídeo de uma música muito bonita que uma grande amiga está ouvindo muito essa semana, uma exelente pessoa, que ao menos lê meu blog. Escutei a música, gostei, e me identifiquei MUITO com a letra, ouçam ai depois, Belo - Intriga da Oposição.

Beijos!

terça-feira, 29 de junho de 2010

É sem dúvida insuportável conviver com a certeza de que, quem você gosta, você não vai mais poder ver. Acordei hoje, andei nas ruas e comecei a pensar, pensar muito no Jota. Ontem me deram folga no trabalho, resolvi pegar a Deise e ir por ai, derrepente até atrás dele, porque não? Tá, fomos ao tal bairro onde ele morava. Fomos escutando música eletrônica, de preferencia a que me faz perder os sentidos e me deixar a ponto de endoidar e fazer qualquer coisa que nao seja de meu normal. Poooois é, dito e feito, fiz TUDO o que não deveria, talvez tudo não, mas uma boa parte. Me diverti até, ri muito com a Dedê, falamos asneiras, nossa, saiu muita tranqueira ontem. Por fim, descobrimos onde o Jota mora, conhecemos até o irmão dele, no qual fiz questão de dar em cima... HAHAHAHAHAHA, "bixa má"...
Bom, sei que hoje estive pensando, enquanto caminhava, que talvez meu fim seja assim: uma prostituta aposentada, criando 16 gatos em casa e 9 cães no quintal, daquelas bem amarguradas, cabelos brancos e ama um só entre todos os gatos, e faz dele uma espécie de joia na qual anda pra cima e pra baixo. E de sua juventude apenas restam belas fotos, na época em que as pessoas a amavam, ou só fingiam mesmo. Na época em que tudo dava certo, seus amores, suas dores... Dores que hoje não doem mais... Nossa, dei uma viajada agora.

Mas coomo pra tudo tem jeito (menos pra morte), eu prefiro concertar de agora esses percursos mal feitos, pra depois não sofrer sozinha. Já estava na hora de eu ter uma conduta um tanto diferente, mas as vezes acho que nem tudo que faço é tão errado assim. Acho que mereço um tempo pra mim de vez em quando, pra me desligar do mundo, das pessoas, me esquecer de tudo, ser uma nova pessoa nem que seja por alguns instantes, cara, isso faz muito bem pra saúde, pro psicológico. Acho que todo mundo deveria tentar isso de vez em quando. Dançar livremente ao vento, com roupas finas, pelas ruas de São Paulo... Essa é realmente uma das melhores sensações que se pode sentir. (:

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Sem manuais pra decifrar...

Ô meu Deus, que vida complicada é essa? as vezes reclamo, por ter uma vida tão barulhenta, e quase sempre tão cheia de confusões e brigas... Mas na real, eu amo viver assim. E amo muito mais a cada dia quem me faz viver a beira de precipícios. De uma forma ou de outra, a nossa vida sempre está assim. Sinto-me viva a cada perigo que corro, eu gosto de viver assim. Odeio quando minha vida está parada, é sempre assim, ou eu dou um jeito de "viver" de novo, ou então a vida mesmo me dá choques elétricos pra me reanimar. É até estranho, mas é assim que as coisas funcionam, pelo menos pra mim. E pra viver no pique em que vivo, o cara tem que ser muito homem pra encarar essa minha vida. E é quase sempre por isso que eu sempre acabo solteira. Poucos suportam, nada mais justo, talvez. E eu acho que encontrei a pessoa certa, o tal do Jota está me surpreendendo a cada dia que passa. Sempre está comigo quando preciso, apesar de seu silêncio repentino me incomodar as vezes, acho que já estou gostando, e muito dele.
Conviver com essa idéia de que está gostando (e muito) de um alguém é realmente perturbador quando se já "penou" por amor por alguém. O seu medo sempre sobe pela garganta, te fazendo sufocar, ou ficar com ciúmes violentos com essa tal pessoa. Já mal posso aguentar...

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Confusões, me deixem em paz! ;S

A situação está cada vez mais crítica pro meu lado... O meu caso de 4 meses me esqueceu praticamente, e sabe-se lá Deus, estou de chamego com um outro rapaz. Ontem por sinal me diverti muito a noite, resolvi que merecia uma folguinha do trabalho. Fiquei de frente a casa de um de meus amigos, antigamente nao gostava dele nem um pouco, bom, talvez um pouco... Enfim, ele e alguns de seus amigos conquistaram minha confiança, meu carinho, e hoje estamos muito amigos apesar do pouco tempo. Carlos, Rafael, Renan, bom por ai vai. Daí minha mega amiga estava fazendo aniversário ontem, foi um dos motivos pra que eu nao tenha ido ao serviço. Ficamos de frente a casa do rafa, então a aniversariante chega, haha...
Depois de um tempo quem chegou foi Jota. Ai ai, meu querido Jota. Coitado, a taah fez dele meio que um taxista. Mas ai conversamos muito, e resolvi falar dele pra senhora minha mãe. Ela meio que aprovou a ideia de eu ter contado a verdade pra ela, e disse que até gostaria de conversar com ele. Bom, como essa é a vontade dele, e acredito eu que seja uma baita de uma vontade, acho que ele vai ficar muito feliz. O problema agora é o caso de 4 meses. Não sei nem o que faço com ele, mas provavelmente minha meelhooor amiga vai dizer: "vai vendo no que dá amiga. Não se precipite!", bom, é exatamente o que vou fazer. Mas de uma forma ou de outra, prefiro que minha mãe conheça o Jota. E até posso dizer que o Jota está com mais chances do que o "4 meses" no momento. Ah, quem sabe? Só Deus mesmo, rs.
Achei lindo, lindo não, MA-RA-VI-LHO-SA a atitude do Jota ontem (Só a Deia sabe, rs), realmente, ele merece e MUITO meu carinho, minha confiança, minha presença, e, porque não, o meu amor?
Vou aproveitar e publicar uma coisinha, que escrevi há um tempo atrás, mas que pór sinal é muito bela. Enfim, o post de hoje é pequeno, mas o de amanhã creio eu que seja bem maior... *-*

"Deitar em seu colo, em um fim de tarde, pôr-do-sol. Tarde laranja,vazia. Por lá ficar, e Ler em teus braços, ditos infelizes que um diameus lábios pronunciaram, minhas mãos escreveram. Palavras tristes deum passado real, que hoje se fazem parecer mentira, por tudo ser tãolindo e doce com voce. Uma lagrima aos teus olhos começam a rolar, emãos ásperas e pálidas passam pelo teu rosto, a enxugá-las. Dize:gostaria que assim fosse, pelo menos para sempre. É assim, eu te amo. Eé assim, impossível, aventureiro, desbravado seja meu coração agorapara enfrentar tanto. "


Muitos beijos e uma ótima quarta-feira!

terça-feira, 22 de junho de 2010

Doce Amargura...

Ai ai, ja era pra ter começado esse blog há muito tempo, muuuito tempo mesmo...
Bom, na ida do meu serviço de hoje, pensei em muitas coisas, por exemplo na amargura das pessoas hoje em dia, que está se tornando deplorável... Pensei até em minha amargura, que de vez em quando resolve sair de sua gruta para se soltar um pouquinho, por mais que eu a odeie, por me dominar na maioria das vezes, me depreciando profundamente ao lembrar de certas pessoas e certos casos na minha vida; ao mesmo tempo eu a amo porque sem ela, eu não posso escrever o meu melhor gênero de poesia, que é o famoso "deprê". (rs)
A minha amargura é relativamente forte e de personalidade indestrutível, tenho que adimitir. Mas desde de esse ano aprendi a dominá-la, até as pessoas ja reparam. "Nossa, alguns anos atrás você não era assim. Você mudou tanto que mal posso reconhecê-la! Está mais doce, mais maleável, puxa...", pois é, andei mudando muito mesmo. Antigamente, as pessoas que sorriam pra mim eu as retribuia com um olhar seco, e um tanto ameaçador. As vezes mal eu posso acreditar, eu brigava, eu discutia, brigava com unhas e dentes para defender um ideal que eu tivesse, sempre fui a "maria-macho" da escola, mas não por parecer homem, mas sim por resolver os problemas como um, e realmente até hoje eu acho que sou mais homem que qualquer outro homem que eu ja conheci, a não ser alguns poucos que faziam e fazem juz ao sexo que possuem.
Alguns dias atrás, eu estive conversando com uma amiga não muito próxima minha, porém um tanto querida. Enfim, ela estava dizendo sobre a arrogancia, acho que de uma forma ou de outra, aquilo era para mim. Ela dizia que a arrogancia era apenas uma máscara, uma espécie de armadura que a pessoa usa para se proteger do mundo, e até comparou uma pessoa arrogante a um caranguejo: "DURÍSSIMO por fora, mas, quando se sabe abri-lo, se tem uma das mais macias e deliciosas carnes que ja se pode provar...!", acho que nunca ouvi tanta verdade na minha vida! (rs) , e então comparei a amargura (tristeza) a uma ferida mal cuidada: "um corte, na pele. Se você não passar nenhum tipo de remédio nesse corte, ele vai ficar cada vez mais dolorido, e como sempre temos mania de 'cutucar' o machucado, ai que piora mais. O certo, é passar um remédio, e esquecer que o corte foi feito! Assim ele melhora sem nem mesmo você perceber." E também acho que nunca disse tanto fato junto! (rs). Mas como em toda a ferida, há sempre uma sequela... no caso, uma cicatriz. Não dá pra esquecer por INTEIRO uma época péssima da sua vida, é quase impossível... Até mesmo um amor, o que você tem certeza de ser o primeiro e o ultimo da sua vida, que foi terrívelmente desastroso. Até porque, falando nesse assunto, depois de ter namorado apenas alguns meses com uma pessoa que só me fez chorar, e que nem conheci, pude descobrir de verdade o que era REALMENTE um amor. E me sinto mal até hoje por isso, porque acho que não sou mais capaz de amar um outro alguém, justamente por causa disso. É um inferno viver com esse tormento na cabeça, um I-N-F-E-R-N-O! Porque, geralmente, eu fico toda empolgadinha nas 2 primeiras semanas, depois disso, parece que o negócio começa a morrer aos poucos, sei lá, é ruim pra caramba. Por mais que eu ja esteja mais acostumada a conviver com isso, eu ainda acho complicado pra pessoa com quem eu começo a me envolver... complicado.
Bom, vou acabar por aqui. Obrigada a todos que leram! -ainda tenho que descançar pra ir trabalhar a noite ... (rs)